quarta-feira, 20 de fevereiro de 2013

Atividade alunos Segundo Ano EEEFM "João Bley"


Realize uma pesquisa a respeito da visita de Yoani Sánchez ao Brasil buscando os motivos de tal ato e também conhecendo os motivos pelo qual o Governo Cubano elaborou um Dossiê a respeito da vida da blogueira. 

Construa um texto em dupla ou individualmente que traga uma breve biografia da blogueira e posteriormente destacando a questão política do ato praticado pelo governo Cubano com ajuda de seus tentáculos no Brasil.  

A postagem poderá ser feita até o dia 22/03/2013 as 17:00 horas  quando os comentários serão encerrados


Dúvidas podem ser tiradas pelo facebook: https://www.facebook.com/wagner.barbosadeoliveira.9?ref=tn_tnmn

Também curtam a página: https://www.facebook.com/FilosofiaCastelo

Bom trabalho a todos.

46 comentários:

  1. Nome: luana D. Casagrande; Alana maria M Nunes.
    Escola: joão bley ano: 2º MO2 data:25/02/2013


    Yoani Sanchez nascida na cidade de havana, em cuba no dia 04 de setembro de 1975 ela era filha de William Sanchez e Eumelia Maria cordero Seu pai trabalhava, como o, o seu pai antes dele, no sistema ferroviário do estado, primeiro como operário e depois como engenheiro. Yoani estudou por dois anos no Instituto Pedagógico, com especialização em literatura espanhola e anos depois ci tornou uma grande blogueira.
    O governo de cuba tem medo das pessoas de que tem a opinião critica e diferente do partido comunista, eles tem medo que a comunidade internacional ouça a blogueira yoane.
    Muitas pessoas acham que o povo e a favor do governo ou que eles são uma ilha toda comunista mais não são todas as pessoas que são a favor.
    Então o governo criou este dossiê sobre a yoane tentando humilhada e inventando historias sobre ela,fazendo assim sues leitores a iguinorala .
    Na estada de uma semana por aqui, foi hostilizada diversas vezes por manifestantes de grupos de esquerda, que tentaram impedi-la de falar ou responder as suas perguntas
    A blogueira Yoani Sánchez criticou o silêncio do governo brasileiro com relação à questão dos direitos humanos em Cuba. “Há muito silêncio”, “Recomendaria uma posição mais enérgica” Isso que a cubana falou. Mas a blogueira também disse que durante os anos em que me foi negado sair de Cuba, vieram do Brasil as maiores manifestações de apoio, inclusive nos momentos em que já tinha perdido as esperanças. Tinha de vir ao Brasil primeiro para receber o abraço dessas pessoas.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. O comentário de vocês está dentro do contexto solicitado, contendo a biografia e o comentário mas existe uma mistura do espanhol com o português no texto, o que o deixa confuso em alguns pontos.

      Excluir
  2. Nome:Luana Biló Brunelli, Gizelle Nogarol
    Escola: joão bley ano: 2º MO1 data:27/02/2013
    turno:Matutino

    Yoani Sánchez Cordero Maria nasceu no município de Centro Habana, na cidade de Havana, uma das duas filhas de William e Mary Eumelia Sánchez Cordero. Frequentou a escola e fez seus estudos secundários em Centro Habana, incluindo a assistência às escolas de campo. Yoani conheceu o marido, o jornalista Reinaldo Escobar, em 1993 e em 1995 tiveram um filho chamado Matt. Desde então eles vivem juntos em um apartamento em Havana. Em 1995 iniciou o curso de Filologia Hispânica, na Faculdade de Letras e Artes, da Universidade de Havana. Durante a passagem pela universidade ela percebeu duas coisas:"que detestava o mundo da intelectualidade e da alta cultura, não queria mais ser filóloga." Em 2000 ela se formou na Universidade de Havana, com o título de Filologia, e uma tese controversa: Um estudo da literatura da ditadura na América Latina. Em setembro de 2000 ela conseguiu um emprego na Editora Gente Nueva, dedicada à literatura infantil. Depois de um curto período de tempo na editora, pediu demissão e passou a ensinar espanhol a turistas alemães, com um rendimento superior ao anterior. Muitos profissionais graduados cubanos, por causa da crise e falta de oportunidades, adotaram caminhos semelhantes. Em 2002, Yoani decidiu deixar Cuba por razões econômicas e emigrou para a Suíça, onde descobriu o computador como uma profissão e meio de subsistência. Entretanto, em 2004 Yoani retornou a Cuba. Na entrada do blog "Eu vim e fiquei", ela relatou que voltou para a ilha por razões familiares, mas havia perdido o seu direito de regressar a Cuba por ter ficado fora por mais de onze meses sem uma licença especial. Para evitar a expulsão de seu próprio país ela destruiu seu passaporte, que lhe permitiu voltar a estabelecer-se em Havana.
    A blogueira Yoani Sánchez desembarcou no Brasil nesta semana para divulgar o livro De Cuba, com Carinho, uma coletânea de seus textos sobre o triste cotidiano do povo cubano sob a ditadura dos irmãos Fidel e Raúl Castro. O trabalho rendeu à dissidente uma perseguição implacável. Ela foi sequestrada, torturada e, durante anos, impedida de deixar o país. É rotulada de mercenária pelos comunistas da ilha e acusada de trair os princípios revolucionários. Esse caso, porém, envolve uma inquietante parceria. O plano para espionar e constranger Yoani Sánchez foi elaborado pelo governo cubano, mas será executado com o conhecimento e o apoio do PT, de militantes do partido e de pelo menos um funcionário da Presidência da República. Yoani reclama que a censura não lhe permite acesso à imprensa cubana, que na maior parte do tempo sua página na internet fica fora do ar e que por isso não é conhecida no seu país.
    "É um dossiê preparado para fazer uma estratégia que eu conheço muito bem: a estratégia de matar o mensageiro. Não é um dossiê sobre os argumentos que apresento, ou que negue algo que escrevo em meu blog, mas um dossiê que trata de me matar eticamente e moralmente frente aos meus leitores. Não há possibilidade de um debate em uma polêmica quando o outro quer te destruir", afirmou a ativista à imprensa, durante visita ao Senado Federal.



    ResponderExcluir
    Respostas
    1. http://veja.abril.com.br/blog/reinaldo/geral/escandalo-baixaria-ilegalidade-embaixador-cubano-no-brasil-promove-conspirata-com-petistas-para-difamar-dissidente-e-confessa-que-agentes-do-regime-atuam-ilegalmente-por-aqui-assessor-de/

      Excluir
  3. Escola: Joao Bley
    Aluno: Lucas cevolane
    Turma: 2 INFO
    Turno: matutino

    OBS: Todo o documentário será escrito por min lucas cevolane em cima do entendimento de artigos, nada será copiado e conterá opniões próprias com bases sólidas...

    Biografia (completa e suscinta) :Yoane sanchez vem de uma cidade chama Centro Habana, filha de willian e mary. Trabalhu em uma editora a quallargou para lecionar alemão a turistas por conta de causas financeiras. Logo no ano de 2002 a crise no país teve crescimento e ela resolvei deixa-lo partindo assim para suíça, onde adotou meios de informações como renda, dando ênfase a blogs e sites de notícias mas em apenas 2 anos retornou a cuba por problemas familiares mas perdeu seu direito e voltar por não haver justificativa pelo longo período que ficou longe de sua pátria, porém desistiu de novas viagens assim conquistando direito de regresso. Em 2009 Yoani teve seu livro "cuba com Carrinho " lançado.
    Quem é Yoani ?
    Yoani é uma defensora de direitos que por meio eletro-informativos expõe a cruel realidade de cuba em sua ementa de escrita, trazendo a tona realidade vivida elos cubanos, o que causou e causa desconforto a autoridades cubanas como Fidel castro e sua filiadas, mas nunca parou com seu tralho e o levando a conquista de várias premiações. Graças a yoani muitas pessoas de cuba estão se sentindo de forma realizada por terem a verdade a tona de forma internacionalmente polêmica.
    Atacando de forma dieta a cuba yoani também ataca os chamados laços que cuba possui com o Brasil o nosso querido partido trabalhista ( PT ), dessa forma com sua visita ao brasil foi criado uma espécie de movimento contra yoani para, digamos de forma mais agradável, "conte-la" para que a situação não se agrave.
    Motivo da visita de Yoani sanchez ao Brasil.
    Yoani veio ao Brasil com o intuito de divulgação de seu livro denominado “ De Cuba Com Carinho” que expõe várias questões vergonhosas de dentro do país e trás a tona o falso socialismo cubano, mostrando-nos a realidade por baixo dos panos o que Lucas Cevolane acredito ser um ato de coragem e superioridade , pelo meu ponto de isto a ONU deveria estar já averiguando tal caso. A visita de yoani causou muita polêmica e repercussão no mundo inteiro mas dou forças e apoio para que esse trabalho continue.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ótimo comentário Lucas. Você realmente entendeu a proposta da atividade. Parabéns.

      Excluir
  4. Escola: João Bley
    Série: 2°m02
    Grupo: Kátia Úrsula Davel Camporez e Lucas Raimundo

    Bibliografia de Yoani Sánchez

    Yoani Sánchez Cordero Maria nasceu no município de Centro Habana, na cidade de Havana, uma das duas filhas de William e Mary Eumelia Sánchez Cordero.
    Depois de um curto período de tempo em uma editora, pediu demissão e passou a ensinar espanhol a turistas alemães, com um rendimento superior ao anterior. Muitos profissionais graduados cubanos, por causa da crise e falta de oportunidades, adotaram caminhos semelhantes. Em 2002, Yoani decidiu deixar Cuba por razões econômicas e emigrou para a Suíça, onde descobriu o computador como uma profissão e meio de subsistência.
    Entretanto, em 2004 Yoani retornou a Cuba. Na entrada do blog "Eu vim e fiquei", ela relatou que voltou para a ilha por razões familiares, mas havia perdido o seu direito de regressar a Cuba por ter ficado fora por mais de onze meses sem uma licença especial. Para evitar a expulsão de seu próprio país ela destruiu seu passaporte, que lhe permitiu voltar a estabelecer-se em Cuba.
    Em 2009 a Editora Contexto publicou uma coletânea de Yoani Sánchez chamada de Cuba com carinho.

    www.lecturalia.com/autor/7862/yoani-sanchez

    Sobre o Dossiê

    No dia 6 de fevereiro, o embaixador de Cuba no Brasil, Carlos Zamora Rodríguez, reuniu um grupo de militantes do PT e do PC do B na embaixada do seu país, em Brasília, para passar um dossiê — e como os petistas gostam disso, não é? — desqualificando Yoani Sánches, acusada de ser “uma mercenária, financiada pelo governo dos Estados Unidos para trabalhar contra a Revolução Cubana, contra o povo, contra os trabalhadores”. Cada um dos convidados recebeu um disquete contendo o material e uma recomendação: o dossiê tinha de circular na Internet, mas sem divulgar a origem das informações.
    O dossiê contra Yoani traz algumas fotos para provar que ela vive uma vida nababesca e evidenciar seus hábitos burgueses, certamente financiados pelos “inimigos da revolução”. Numa delas, ela aparece com amigos tomando cerveja. Em outra, comprando um artigo de luxo chamado “banana”. É isto: no regime liderado pelos assassinos Fidel e Raúl Castro, tomar cerveja e comer banana podem ser privilégios inaceitáveis.

    Opinão Pessoal

    Na nossa opinião, Yoani é mais uma guerreira pela verdade...
    E o que estão fazendo com ela é uma consequência do desespero político, que ao se ver encuralados encontram como saidas espalhar mentiras.
    Agora provavelmente ela está sendo vigiada e qualquer festa que ela for será motivo para diser que ela está sendo paga pela oposição.
    Somos a favor da Yoani,e esperamos que ela tenha forças para continuar o seu trabalho, pois coragem ela tem de sobra.

    ResponderExcluir
  5. Escola: Joao Bley
    Aluno: Igor B. Ferreira / Emerson F. Careta
    Turma: 2 M02
    Turno: matutino

    Yoani Sánchez Cordero Maria nasceu no município de Centro Habana, na cidade de Havana, uma das duas filhas de William e Mary Eumelia Sánchez Cordero. Seu pai trabalhava na rede ferrroviária do Estado, Frequentou a escola e fez seus estudos secundários em Centro Habana, incluindo a assistência às escolas de campo onde, como mencionado em seu artigo "O Hobbit Hole", a falta de individualidade e privacidade se tornou insuportáve. yoani conheceu o marido, o jornalista Reinaldo Escobar, em 1993 e em 1995 tiveram um filho chamado Matt. Desde então eles vivem juntos em um apartamento em Havana.
    O governo de cuba está amedrontado com o que a blogueira falou pois ela apenas conta a verdade, eles temem que esses fatos que a yoani relatou em seu blogue chegam aos ouvidos dos outros países.
    O governo de cuba criou falsas histórias para que os leitores do blogue ficasses com raiva dela e para cem de ler seus comentários.
    Yoane veio para o Brasil para divulgar seu livro que relata a realidade de cuba o que acontece de verdade por lá “o lado ruim” ,,ela foi bem recebida, mas também comentou que em sua passagem por alguns hotéis as pessoas teriam criticado ela,sendo assim eu acho que as pessoas não deveriam criticar ela mais sim apoiar por que ela fez uma coisa que poucos teriam a coragem de fazer conta o que realmente acontece em Cuba.

    ResponderExcluir
  6. Nome: Lucas Barbosa de Oliveira, Mirely Stofeles
    Escola: joão bley ano: 2º MO1 data:06/03/2013
    turno:Matutino

    Yoani Sánchez Cordero Maria nasceu no município de Centro Habana, na cidade de Havana, uma das duas filhas de William e Mary Eumelia Sánchez Cordero. Seu pai trabalhava na rede ferroviária do Estado, como o avô tinha feito antes, primeiro como operário e depois como um engenheiro.
    Frequentou a escola e fez seus estudos secundários em Centro Habana, incluindo a assistência às escolas de campo onde, como mencionado em seu artigo "O Hobbit Hole", a falta de individualidade e privacidade se tornou insuportável. Foram anos difíceis para a economia cubana, coincidindo com o colapso da União Soviética e da perda dos subsídios a Cuba, que tinha assumido cerca de oitenta por cento do comércio internacional em Cuba, durante quase três décadas.

    Yoani ficou conhecida em todo mundo depois de criar o blog Geração Y, com críticas aos governos de Fidel e Raúl Castro. Suas opiniões são traduzidas para 15 idiomas e rodam o mundo. A blogueira só conseguiu sair do país por causa da nova lei migratória, em vigor desde janeiro. Foi uma das recentes mudanças do governo cubano. As reformas desejadas e sonhadas são, por exemplo, que se aceite a presença de outra força política, a liberdade de expressão, a liberdade de associação.
    No Brasil, os grupos políticos simpáticos ao regime instaurado em 1959, com a Revolução Cubana, veem Yoani Sánchez como uma peça de marketing político, financiada por grupos capitalistas que têm interesse no fim do regime dos irmãos Castro na ilha caribenha. Já os grupos defensores da blogueira viram em sua visita um meio de criticar o dito socialista regime cubano, defendendo a implantação de um regime liberal e a abertura à economia de mercado em Cuba. Nesse cenário a grande mídia vem criando uma polarização falsa: de um lado a "esquerda" autoritária, antidemocrática e ditatorial representada pela juventude pró-Fidel, de outro lado o baluarte da liberdade, da democracia e dos direitos humanos representada por Yoani. Vamos com calma para não nos perder. Deve-se haver uma discussão profunda sobre essas questões. Boa parte da esquerda brasileira apoia acriticamente o regime cubano e condena todos aqueles que a ele se opõem, desconsiderando completamente a alternativa política das massas e dos trabalhadores cubanos de lutarem contra a restauração capitalista, seja conduzida pela burocracia seja pelo imperialismo dos gusanos. A construção de uma sociedade socialista necessita de debates abertos como esses.

    ResponderExcluir
  7. Escola: E.E.E.F.M. João Bley
    Turma: 2º M01/ Matutino
    Alunos: Dalva Souza e Gabriela Vinco.

    Yoana Sánchez Cordero Maria nasceu na cidade da Havena, no município de Centro Rabana. Estudou em sua cidade natal onde também conheceu seu marido, o jornalista Reinaldo Escobar, em 1993 e em 1995 tiveram um filho chamado Matt. Em 1995 iniciou o curso Filologia Hispânica, na Faculdade de Letras e Artes, se formando em 2000. Em 2002, decidiu deixar Cuba por razões econômicas e emigrou para a Suíça, onde descobriu o computador como uma profissão.Entretanto, em 2004 Yoani retornou a Cuba, mas havia perdido o seu direito de regressar por ter ficado fora por mais de onze meses sem uma licença especial. Para evitar a expulsão de seu próprio país ela destruiu seu passaporte, que lhe permitiu voltar a estabelecer-se em Havana. Desde então é blogueira no Geração Y.Acreditamos que Yoani veio ao nosso país para desvendar os mistérios dos laços políticos internacionais de Cuba com o Brasil. Ela que teve sua fama ganha com o blog onde começou julgando a política incorreta do seu país resolveu fazer um trabalho internacional, começando por aqui. Achamos muito interessante esse novo trabalho, afinal todos devemos saber o que se passa dentro da nossa política, mas temos uma critica. A postura adotada pelo PSDB de acompanhar todos os passos de Yoani pode ser apenas para derrubar o governo Dilma, afinal, conseguiu uma arma forte para desmascarar os podres do PT. Ou então, podemos acreditar que só estão interessados em ajudar os brasileiros. Acho que não. Este é nosso ponto de vista.

    ResponderExcluir
  8. Escola: E.E.E.F.M. João Bley
    Turma: 2º M01/ Matutino
    Alunos: Karine Thezolin e Karolyne Piovezan


    Yoani Sánchez Cordero Maria nasceu no município de Centro Habana, na cidade de Havana, uma das duas filhas de William e Mary Eumelia Sánchez Cordero.Frequentou a escola e fez seus estudos secundários em Centro Habana, incluindo a assistência às escolas de campo onde, como mencionado em seu artigo "O Hobbit Hole", a falta de individualidade e privacidade se tornou insuportáve.Yoani conheceu o marido, o jornalista Reinaldo Escobar, em 1993 e em 1995 tiveram um filho chamado Matt. Desde então eles vivem juntos em um apartamento em Havana.Em 1995 iniciou o curso Filologia Hispânica, na Faculdade de Letras e Artes, da Universidade de Havana. Durante a passagem pela universidade ela percebeu duas coisas: "que detestava o mundo da intelectualidade e da alta cultura, não queria mais ser filóloga." Em 2000 ela se formou na Universidade de Havana, com o título de Filologia, e uma tese controversa: Um estudo da literatura da ditadura na América Latina. Em setembro de 2000 ela conseguiu um emprego na Editora Gente Nueva, dedicada à literatura infantil. Depois de um curto período de tempo na editora, pediu demissão e passou a ensinar espanhol a turistas alemães, com um rendimento superior ao anterior. Muitos profissionais graduados cubanos, por causa da crise e falta de oportunidades, adotaram caminhos semelhantes. Em 2002, Yoani decidiu deixar Cuba por razões econômicas e emigrou para a Suíça, onde descobriu o computador como uma profissão e meio de subsistência.Entretanto, em 2004 Yoani retornou a Cuba. Na entrada do blog "Eu vim e fiquei", ela relatou que voltou para a ilha por razões familiares, mas havia perdido o seu direito de regressar a Cuba por ter ficado fora por mais de onze meses sem uma licença especial. Para evitar a expulsão de seu próprio país ela destruiu seu passaporte, que lhe permitiu voltar a estabelecer-se em Havana.
    Em 2009 a Editora Contexto publicou uma coletânea de seus textos, chamada De Cuba, com carinho.

    "Sou pró Cuba, não tenho qualquer relação com o governo de outro país", afirmou em sua primeira entrevista coletiva durante a reunião semestral da Sociedade Interamericana de Imprensa (SIP) na cidade de Puebla, no México.
    A jornalista afirmou também que nunca foi financiada por um governo estrangeiro
    Sobre o bloqueio dos Estados Unidos a Cuba, disse ser um tema que o governo cubano utiliza como uma verdadeira "cortina de fumaça" para desviar a atenção dos grandes problemas internos do país.
    O principal bloqueio é "aquele imposto pelo governo aos nossos direitos, um bloqueio que eu e muitos de meus compatriotas enfrentamos a cada dia".
    Criadora do blog "Generación Y", ganhadora de prêmios de jornalismo e de direitos humanos em vários países, Yoani se definiu como uma pessoa com um "alto compromisso com a liberdade", muito preocupada com as pessoas humildes, das quais devemos oferecer todo tipo de oportunidades.
    Yoani também fez um chamado aos jovens para que opinem e façam uso da palavra, apesar do risco.
    "Não tenho medo que manipulem minhas palavras, tenho mais medo que manipulem meu silêncio", afirmou a blogueira, convencida de que existem muitos cubanos ativistas, preparados, com projetos de nação, mas que necessitam de um microfone para que suas vozes sejam ouvidas.
    Mas enquanto houver um "monopólio oficial da informação, como vamos explicá-lo?", sustentou, e se disse esperançosa pelos avanços que estão sendo alcançados através das redes sociais.
    A visita da blogueira ao México faz parte de uma viagem de oitenta dias que inclui escalas em uma dezena de países da América e Europa.

    ResponderExcluir
  9. Escola: E.E.E.F.M. João Bley
    Turma: 2º M01/ Matutino
    Aluno: Johnatas de Souza dos Santos

    BIOGRAFIA DE YOANA SÁNCHEZ:

    Conhecida mundialmente como a blogueira cubana que manifesta suas opiniões contra a ditadura dos irmãos Castro em Cuba, Yoani Sanchez Cordero Maria recebe apoios pela sua luta em favor da democracia e, ao mesmo tempo, sofre perseguições e protestos dos defensores do comunismo de Havana. Nascida em 4 de setembro de 1975, é filóloga e jornalista. Se formou em Filologia pela Universidade de Havana em 2000, morou e trabalhou na Europa, retornando ao seu país para cuidar de seu pai adoecido e de toda sua família. É crítica das condições limitantes de vida dos cubanos, para manter o seu blog “Generación Y” ela acesse a internet uma vez por semana a partir de um hotel em Havana, utilizando um cartão de acesso contado por horas de uso. Ela critica o baixo nível de acessibilidade da Internet em seu país, onde ter computador, celular e internet em casa é muito caro. O salário médio em Cuba é de 30,00 dólares ao mês. É casada com o jornalista Reinaldo Escobar, e mãe de Matt. Iniciou no curso superior de Filologia Hispânica em 1995. É acusada pelo governo cubano e pelos defensores do antigo comunismo de ser agente da CIA; a blogueira se defende e diz viver somente de suas atividades jornalísticas.
    Fidel Castro, assinou em 4 de junho, 2008 citando várias frases do blog Yoani, que ele refere como "uma mulher jovem cubana" sem usar o seu nome, criticando a forma de pensar de jovens como ela e "imprensa neocolonialista da antiga metrópole espanhola que os premia"",supostamente referindo-se prêmio Ortega y Gasset que Yoani Sánchez obteve.Yoani respondeu com um post ilustrado com uma foto de uma velha TV no qual se pode ler "Alguns instrumentos antigos da era soviética não morrem". Yoani diz que é atacada por "alguém com um poder infinitamente superior ao meu, com mais do dobro da minha idade", e redireciona a resposta ao blog de seu marido Reinaldo Escobar, que critica Fidel por condecorar com a Ordem José de Martí a “ corruptos, ditadores e assassinos como Nicolae Ceausescu, Husak Gustav, Mengistu Haile Mariam, Robert Mugabe ,Erich Honecker, dentre outros.No dia 6 de novembro de 2009, Yoani Sánchez e alguns amigos estavam se dirigindo a um comício. No caminho para a manifestação foram interceptados por três agentes suspostamente da segurança do Estado. Segundo a versão de Yoani, os agentes lhes disseram para entrar no carro, que eles se recusaram porque eles não apresentaram qualquer mandado judicial. Então Yoani foi introduzido no veículo à força. Dentro do carro Yoani ao mesmo tempo em que era espancada pelos agentes, ela recebia advertência de que tinha ido longe demais com seus escritos. Vinte minutos mais tarde eles foram jogados em um lugar longe do local da manifestação. O incidente foi condenado por vários organizações internacionais defensoras dos Direitos Humanos. Em fevereiro de 2009, Yoani identificou o principal atacante com alguém que chama a si mesmo agente Rodney. Em seu blog ela divulgou fotos de supostos agentes da segurança do Estado que estavam vigiando sua casa. Os jornalistas oficiais cubanos negaram a veracidade do testemunho de Yoani, chegando a sugerir que os ferimentos foram devido a um ataque de seu próprio marido.
    Em fevereiro de 2013, esteve no Brasil, foi recebida sob protestos em Salvador, participou de palestras, lançou o seu livro “Desde Cuba”. Yoani Sánchez criticou o silêncio do governo brasileiro com relação à questão dos direitos humanos em Cuba. “Há muito silêncio”, “Recomendaria uma posição mais enérgica” disse Yoani.

    Enfim, no meu ponto vista, vejo Yoani Sánchez como uma defensora da liberdade de expressão em um suposto governo "ditatorial, autoritário e fortemente represivo.

    ResponderExcluir
  10. Escola: E.E.E.F.M. João Bley
    Turma: 2º M01/ Matutino
    Aluno: Johnatas de Souza dos Santos

    BIOGRAFIA DE YOANA SÁNCHEZ:

    Conhecida mundialmente como a blogueira cubana que manifesta suas opiniões contra a ditadura dos irmãos Castro em Cuba, Yoani Sanchez Cordero Maria recebe apoios pela sua luta em favor da democracia e, ao mesmo tempo, sofre perseguições e protestos dos defensores do comunismo de Havana. Nascida em 4 de setembro de 1975, é filóloga e jornalista. Se formou em Filologia pela Universidade de Havana em 2000, morou e trabalhou na Europa, retornando ao seu país para cuidar de seu pai adoecido e de toda sua família. É crítica das condições limitantes de vida dos cubanos, para manter o seu blog “Generación Y” ela acesse a internet uma vez por semana a partir de um hotel em Havana, utilizando um cartão de acesso contado por horas de uso. Ela critica o baixo nível de acessibilidade da Internet em seu país, onde ter computador, celular e internet em casa é muito caro. O salário médio em Cuba é de 30,00 dólares ao mês. É casada com o jornalista Reinaldo Escobar, e mãe de Matt. Iniciou no curso superior de Filologia Hispânica em 1995. É acusada pelo governo cubano e pelos defensores do antigo comunismo de ser agente da CIA; a blogueira se defende e diz viver somente de suas atividades jornalísticas.
    Fidel Castro, assinou em 4 de junho, 2008 citando várias frases do blog Yoani, que ele refere como "uma mulher jovem cubana" sem usar o seu nome, criticando a forma de pensar de jovens como ela e "imprensa neocolonialista da antiga metrópole espanhola que os premia"",supostamente referindo-se prêmio Ortega y Gasset que Yoani Sánchez obteve.Yoani respondeu com um post ilustrado com uma foto de uma velha TV no qual se pode ler "Alguns instrumentos antigos da era soviética não morrem". Yoani diz que é atacada por "alguém com um poder infinitamente superior ao meu, com mais do dobro da minha idade", e redireciona a resposta ao blog de seu marido Reinaldo Escobar, que critica Fidel por condecorar com a Ordem José de Martí a “ corruptos, ditadores e assassinos como Nicolae Ceausescu, Husak Gustav, Mengistu Haile Mariam, Robert Mugabe ,Erich Honecker, dentre outros.No dia 6 de novembro de 2009, Yoani Sánchez e alguns amigos estavam se dirigindo a um comício. No caminho para a manifestação foram interceptados por três agentes suspostamente da segurança do Estado. Segundo a versão de Yoani, os agentes lhes disseram para entrar no carro, que eles se recusaram porque eles não apresentaram qualquer mandado judicial. Então Yoani foi introduzido no veículo à força. Dentro do carro Yoani ao mesmo tempo em que era espancada pelos agentes, ela recebia advertência de que tinha ido longe demais com seus escritos. Vinte minutos mais tarde eles foram jogados em um lugar longe do local da manifestação. O incidente foi condenado por vários organizações internacionais defensoras dos Direitos Humanos. Em fevereiro de 2009, Yoani identificou o principal atacante com alguém que chama a si mesmo agente Rodney. Em seu blog ela divulgou fotos de supostos agentes da segurança do Estado que estavam vigiando sua casa. Os jornalistas oficiais cubanos negaram a veracidade do testemunho de Yoani, chegando a sugerir que os ferimentos foram devido a um ataque de seu próprio marido.
    Em fevereiro de 2013, esteve no Brasil, foi recebida sob protestos em Salvador, participou de palestras, lançou o seu livro “Desde Cuba”. Yoani Sánchez criticou o silêncio do governo brasileiro com relação à questão dos direitos humanos em Cuba. “Há muito silêncio”, “Recomendaria uma posição mais enérgica” disse Yoani.

    Enfim, no meu ponto vista, vejo Yoani Sánchez como uma defensora da liberdade de expressão em um suposto governo "ditatorial, autoritário e fortemente represivo.

    ResponderExcluir
  11. Escola: E.E.E.F.M. João Bley
    Turma: 2º M01/ Matutino
    Aluno: Johnatas de Souza dos Santos

    BIOGRAFIA DE YOANA SÁNCHEZ:
    Conhecida mundialmente como a blogueira cubana que manifesta suas opiniões contra a ditadura dos irmãos Castro em Cuba, Yoani Sanchez Cordero Maria recebe apoios pela sua luta em favor da democracia e, ao mesmo tempo, sofre perseguições e protestos dos defensores do comunismo de Havana. Nascida em 4 de setembro de 1975, é filóloga e jornalista. Se formou em Filologia pela Universidade de Havana em 2000, morou e trabalhou na Europa, retornando ao seu país para cuidar de seu pai adoecido e de toda sua família. É crítica das condições limitantes de vida dos cubanos, para manter o seu blog “Generación Y” ela acesse a internet uma vez por semana a partir de um hotel em Havana, utilizando um cartão de acesso contado por horas de uso. Ela critica o baixo nível de acessibilidade da Internet em seu país, onde ter computador, celular e internet em casa é muito caro. O salário médio em Cuba é de 30,00 dólares ao mês. É casada com o jornalista Reinaldo Escobar, e mãe de Matt. Iniciou no curso superior de Filologia Hispânica em 1995. É acusada pelo governo cubano e pelos defensores do antigo comunismo de ser agente da CIA; a blogueira se defende e diz viver somente de suas atividades jornalísticas.
    Fidel Castro, assinou em 4 de junho, 2008 citando várias frases do blog Yoani, que ele refere como "uma mulher jovem cubana" sem usar o seu nome, criticando a forma de pensar de jovens como ela e "imprensa neocolonialista da antiga metrópole espanhola que os premia"",supostamente referindo-se prêmio Ortega y Gasset que Yoani Sánchez obteve.Yoani respondeu com um post ilustrado com uma foto de uma velha TV no qual se pode ler "Alguns instrumentos antigos da era soviética não morrem". Yoani diz que é atacada por "alguém com um poder infinitamente superior ao meu, com mais do dobro da minha idade", e redireciona a resposta ao blog de seu marido Reinaldo Escobar, que critica Fidel por condecorar com a Ordem José de Martí a “ corruptos, ditadores e assassinos como Nicolae Ceausescu, Husak Gustav, Mengistu Haile Mariam, Robert Mugabe ,Erich Honecker, dentre outros.No dia 6 de novembro de 2009, Yoani Sánchez e alguns amigos estavam se dirigindo a um comício. No caminho para a manifestação foram interceptados por três agentes suspostamente da segurança do Estado. Segundo a versão de Yoani, os agentes lhes disseram para entrar no carro, que eles se recusaram porque eles não apresentaram qualquer mandado judicial. Então Yoani foi introduzido no veículo à força. Dentro do carro Yoani ao mesmo tempo em que era espancada pelos agentes, ela recebia advertência de que tinha ido longe demais com seus escritos. Vinte minutos mais tarde eles foram jogados em um lugar longe do local da manifestação. O incidente foi condenado por vários organizações internacionais defensoras dos Direitos Humanos. Em fevereiro de 2009, Yoani identificou o principal atacante com alguém que chama a si mesmo agente Rodney. Em seu blog ela divulgou fotos de supostos agentes da segurança do Estado que estavam vigiando sua casa. Os jornalistas oficiais cubanos negaram a veracidade do testemunho de Yoani, chegando a sugerir que os ferimentos foram devido a um ataque de seu próprio marido.
    Em fevereiro de 2013, esteve no Brasil, foi recebida sob protestos em Salvador, participou de palestras, lançou o seu livro “Desde Cuba”. Yoani Sánchez criticou o silêncio do governo brasileiro com relação à questão dos direitos humanos em Cuba. “Há muito silêncio”, “Recomendaria uma posição mais enérgica” disse Yoani.

    Enfim, no meu ponto vista, vejo Yoani Sánchez como uma defensora da liberdade de expressão em um suposto governo "ditatorial, autoritário e fortemente represivo.

    ResponderExcluir
  12. ESCOLA ESTADUAL DE ENSINO FUNDAMENTAL E MEDIO JOÃO BLEY
    Nome: Jefferson de Moraes Mistura
    Série: 2°ano 01 EM
    Turno: matutino
    Data: 14/03/2013

    Yoani Sánchez

    Yoani Sánchez Cordero Maria é uma cubana que nasceu no município de Centro Habana, na cidade de Havana, filha de William e Mary Eumelia Sánchez Cordero e mãe de Matt com o jornalista Reinaldo Escobar. Em 2002, Yoani decidiu deixar Cuba por razões econômicas e emigrou para a Suíça, onde descobriu o computador como uma profissão e meio de subsistência. Porém em 2004 ela retornou a Cuba por razões familiares mas perdeu seu direito de regressar a cuba por causa dela ter fica mais de 11 meses fora de Cuba sem uma licença especial. Para evitar a expulsão ela destruiu seu passaporte o que lhe permitiu voltar a regressar em Havana. Yoani é perceguida pelo governo cubano por ser uma pessoa que critica ao mesmo, trazendo a toma a realidade de Cuba de forma interativa com o mundo e de mesma forma polemica, oque preocupa o governo cubano. Perseguida pelo governo de Cuba ela relata a perseguição em seu blog(que ela não tem acesso direto e livre) como exemplo quando ela relata que tem dois homens vigilantes mandados pelo governo que fazem rodizio na porta de seu prédio afim de intimida-la. Yoani veio ao Brasil para lançar seu livro no país e fazer sessão de autógrafos e participou de debates políticos. Na sua chegada ao Brasil foi bruscamente criticada por simpatizantes e afavores do governo Fidel Castro que fizeram protestos na sua chegada. Yoani criticou o silencio do Brasil em relação a ditadura cubana.

    ResponderExcluir
  13. E.E.E.M.F. "João Bley"
    Componentes: Monique Stofelles, Wana Lopes
    Turma: 2°02 matutino

    Yoani Sanchez nasceu em 4 de dezembro de 1975. Se formou em fiologia pela universidade de Havana em 2000 e é jornalista. morou e trabalhou na Europa, retornando ao seu páis para cuidar de seu pai e sua família.É casada com o jornalista Reinaldo Escobar, e mãe de Matt. Iniciou no curso superior de filologia Hispânica em 1995. É acusada pelo governo cubano e pelos defensores do antigo comunismo de ser agente da CIA; a blogueira se defende e diz viver somente suas atividades jornalísticas.
    Yoani manifesta suas opiniões contra a ditadura dos irmãos Castro em Cuba. Recebe apoios pela luta em favor da democracia, e ao mesmo tempo, sofre perseguições e protestos do dos defensores do comunismo de Havana. Ela critica as condições limitantes da vida dos cubanos, o baixo nível de acessibilidade da internet no seu país, onde ter computador, celular, e internet é muito caro.

    ResponderExcluir
  14. EEEFM Joao Bley
    alunos: Caio Henrique, Giordano Andrião
    Turma: 2°M01 matutino

    Conhecida mundialmente como a blogueira cubana que manifesta suas opiniões contra a ditadura dos irmãos Castro em Cuba, Yoani Sanchez recebe apoios pela sua luta em favor da democracia e, ao mesmo tempo, sofre perseguições e protestos dos defensores do comunismo de Havana. Nascida em 4 de setembro de 1975, é filóloga e jornalista. Ela morou e trabalhou na Europa, retornando ao seu país para cuidar de seu pai adoecido e de toda sua família. É crítica das condições limitantes de vida dos cubanos, para manter o seu blog “Generación Y” ela acesse a internet uma vez por semana a partir de um hotel em Havana, utilizando um cartão de acesso contado por horas de uso.
    Ela critica o baixo nível de acessibilidade da Internet em seu país, onde ter computador, celular e internet em casa é muito caro. O salário médio em Cuba é de 30,00 dólares ao mês. É casada com o jornalista Reinaldo Escobar, e mãe de Matt. Iniciou no curso superior de Filologia Hispânica em 1995. É acusada pelo governo cubano e pelos defensores do antigo comunismo de ser agente da CIA, a blogueira se defende e diz viver somente de suas atividades jornalísticas.

    ResponderExcluir
  15. EEEFM Joao Bley
    Alunos: Caio Henrique, Giordano Andrião
    Turma: 2°M01 matutino

    NOSSA OPINIÃO SOBRE YOANI SANCHEZ:
    Entendemos que Yoani Sanchez é uma mulher que luta pelo seu país, para que o seu país (Cuba) tenha boas condições de vida, um bom governo, etc. e ela realiza viagens para outros países para trazer recursos tanto tecnológicos quanto financeiros para Cuba. No nosso ponto de vista, pensamos que Joani Sanchez é uma mulher corajosa e lutadora e ela defende o direito de seu país a ter aceso a internet, boas condições de vida, saúde, educação, etc. Ela enfim é uma mulher corajosa, apesar de ser criticada por alguns.

    ResponderExcluir
  16. Escola: E.E.E.F.M. João Bley
    Turma: 2º M01/ Matutino
    Aluno: Rodrigo Pancotto da Silva / Marcos Alexandre Chisto

    Yoani Sanchez Cordeiro Maria ,nasceu no municipio de centro Holana ,na cidade de Hovana.Em 1995 iniciou o curso de filosofia hipânica na faculdade de letras e artes da universidade .
    Em 2000 ela se formou mas não era exatamente oque ela queria , ensinou espanhol a turistas alemãs.Em 2002 se mudou para a Suíça onde descobriu o computador como uma profissão e meio de subsistencia .Em 2004 Yoani retornou a Cuba. Em 2007 trabalhando como Webmaster iniciou um blog intitulado geração Y que chamou atenção de milhares de pessoas . A blogueira afirma que desde março de 2008 ,o governo Cubano impossibilita que o blog seja acessado no país , desde então ela contava com ajuda de colaboradores que atualizarão o blog mas em fevereiro de 2011 o blog foi liberado , ele é traduzido em 15 linguas .
    Sendo assim relacinando ao governo cubano , direitos fundamentas de livre expeção, associação, privacidade, etc são negados. O regime é tão intenso que chega a ponto dos habitantes serem monitorados para ultilizar a internet e o uso só é consedido a pessoas selecionadas .
    Com essa situação acaba dando margem para a revolta,manifestaçãos, daqueles que querem deus direitos de liberdade, citando els, Yoani Sanchez que por ser determinada em seus ideais não deixa de expor suas opniões sobre a escassez do regime político de seus país.

    ResponderExcluir
  17. E.E.E.F.M "João Bley"
    Bruno Ramiro Vittorazzi
    Série/Turma: 2° Info
    19/03/2013

    Biografia:
    Yoani Sánchez nasceu em Havana (Cuba), no dia 4 de setembro de 1975. Formou-se em Filologia pela Universidade de Havana no ano 2000. Atingiu a fama internacional e numerosos prêmios por suas críticas sobre a forma social imposta pelo governo liderado por Fidel Castro e seu sucessor e irmão Raúl Castro.
    Foi reconhecida, primeiramente por suas publicações no blog Generación Y, que é editado desde 2007, superando dificuldades exercidas pelo governo.
    Em 2008 foi reconhecida como uma das 100 pessoas mais influentes do mundo pela revista Time, dizendo que "debaixo do nariz de um regime que nunca tolerou dissensão, Sánchez exerce um direito não garantido aos jornalistas que trabalham com papel: liberdade de expressão".
    Sua chegada ao país, porém, enfrentou alguns contratempos. Logo ao sair do saguão de desembarque do Aeroporto Internacional do Recife (PE), na madrugada de 18 de fevereiro de 2013, a blogueira cubana enfrentou manifestações ruidosas de uma dezena de simpatizantes do regime castrista. Jovens ligados à partidos de esquerda, como o PCdoB, PCR e PT levaram cartazes onde acusam Yoani de ser agente da CIA e traidora do regime cubano.


    Opinião: Sem nenhum medo ou receio, Yoani faz duras críticas ao “modo cubano” de governar. Entretanto, são discutíveis as largas falhas de um governo democrata, como o Brasil, que, por exemplo, literalmente defende marginais, traficantes, assassinos e ladrões impedindo-os de ficar preso por mais de 30 anos (onde, raramente chega a ficar 30 anos em presídio). Considerando o Brasil, como, infeliz exemplo onde o povo “acha” que tem o poder, pelo simples fato de ser um país onde a forma de governo é a democracia. O povo brasileiro, mesmo sem perceber tem de conviver com os traços deixados por um país tão liberal, e a ausência de um governo rígido como foi e ainda é o Brasil. O Chile, tomando um exemplo próximo, onde a ditadura (rígida) prevaleceu , tem um nível de IDH considerado muito alto, ocupando a 40° colocação. E mesmo o Brasil tendo um PIB mais elevado, ocupa apenas a 85º posição.
    As marcas do liberalismo brasileiro são visíveis, à quem não é ignorante. Do que adianta uma liberdade de expressão dos cidadãos e da imprensa, tão alta, se esse “benefício” é usado, muitas vezes, para manipular as pessoas, como a Rede Globo faz ?


    ResponderExcluir
  18. E.E.E.F.M. "João Bley"
    Alunos: Leticia Garcia e Juliano Dalvi
    Série\Turma: 2º Informática

    Biografia:
    Yoani Sánchez Cordero Maria nasceu em Habana, , uma das duas filhas de William e Mary Eumelia Sánchez Cordero.
    Yoani conheceu o marido, os jornalistas Reinaldo Escobar, em 1993 e em 1995 tiveram um filho chamado Matt. Desde então eles vivem juntos em um apartamento em Havana.
    Em 1995 iniciou o curso Filologia Hispânica, na Faculdade de Letras e Artes, da Universidade de Havana. Em 2000 ela se formou na Universidade e em setembro de 2000 ela conseguiu um emprego na Editora Gente Nueva, dedicada à literatura infantil. Depois de um curto período de tempo na editora, pediu demissão e passou a ensinar espanhol a turistas alemães, com um rendimento superior ao anterior. Em 2002, Yoani decidiu deixar Cuba por razões econômicas e emigrou para a Suíça, onde descobriu o computador como uma profissão e meio de subsistência.
    Entretanto, em 2004 Yoani retornou a Cuba. Na entrada do blog "Eu vim e fiquei", ela relatou que voltou para a ilha por razões familiares, mas havia perdido o seu direito de regressar a Cuba por ter ficado fora por mais de onze meses sem uma licença especial. Para evitar a expulsão de seu próprio país ela destruiu seu passaporte, que lhe permitiu voltar a estabelecer-se em Havana.
    Em 2009 a Editora Contexto publicou uma coletânea de seus textos, chamada De Cuba, com carinho.

    Opinião:
    Yoani luta pelos seus direitos por meio da internet. Cuba deveria analisalos, pois nenhum país é tão bom que não possa ser melhor.
    Justamente um dos maiores problemas de Cuba é o desrespeito para com a liberdade de expressão.Dar uma opinião sem correr risco de perseguição política tem de ser um direito assegurado, e a luta por ele.
    O fato de que a blogueira cubana crítica do regime Castro, ter escolhido o Brasil para iniciar uma viagem internacional pode criar animosidades na relação entre Brasil e Cuba. Todos sabem que o governo brasileiro tem uma relação especial com o governo cubano, bem como com diversos outros países de tendências de ter também. Essa inclinação à defesa de um regime ditatorial é muito perigosa para o país.
    Ela não ficou triste pelas críticas que recebeu no Brasil, pois isso significa que as pessoas tem a liberdade de lutar por aquilo que acha correto, a chama Democracia que ela tanto sonha para seu país (Cuba).

    ResponderExcluir
  19. Escola: E.E.E.F.M. João Bley
    Turma: 2º M01/ Matutino
    Aluno: Gean Felipe Moreira, Laila Adriano Faccin .

    Yoni Maria Sánchez Cordeiro nasceu em La Havana no dia 4 de Setembro de 1975. Formou-se em filosofia pela universidade de Havana em 2000, morou e trabalhou na Europa, atualmente ela e conhecida mundialmente como blogueira, sendo assim manifestando suas opiniões contra ditadura existente no seu país. Yoni Sánchez recebe apoios pela sua luta em favor da democracia, mais também sofre perseguições e protestos dos defensores do comunismo de Havana.
    Por um período de tempo ela ficou impossibilitada de acessar seu blog, sendo assim contava com a ajuda de colaboradores que atualizavam o blog, mas a partir de Fevereiro de 2011 o blog passou a ter acesso liberado.
    Com isso, torna se constante percebermos a escassez do governo Cubano, onde há liberdade de expressão, apenas pessoas selecionadas tem acesso a internet etc.
    Mas tendo sobre um ponto de vista sobre a vista de Yoni ao Brasil, a relação dela ao nosso governo trata se de “colocar o Brasil” em estreito, causa um impacto, pois a relação entre Brasil x Cuba fica a desejar sendo que uma série de empresas brasileiras tem invadido o mercado Cubano e vice e versa, visando à vantagem na relação entre os países. A proposta de desqualificação da dissidente cubana inclui a distribuição de um dossiê com informações distorcidas sobre o que seria uma suposta vida de luxo dela. Em meio a montagens com fotos da ativista estão insinuações de que ela teria “se rendido ao dinheiro” porque bebe cerveja, come banana e vai à praia. O pedido para a distribuição do dossiê e a estratégia de desqualificação de Yoani foi orquestrado no dia 6 de fevereiro em uma reunião organizada pelo conselheiro político da embaixada de Cuba em Brasília, Rafael Hidalgo.
    Revelando esses tais contratempos a blogueira têm sua determinação, sua vontade de ser livre, a impõe em se expressar, ter suas opiniões, querer que a mudanças seja estabelecida, e que o regime político de seu país tenha uma nova realidade.

    ResponderExcluir
  20. Escola: E.E.E.F.M João Bley
    Série: 1° M03
    Componentes: Bruno rigone e Wanderson nascimento
    Biografia : (Yoani Sánchez Cordero Maria)
    Yoani Sánchez Cordero Maria nasceu no município de Centro Habana, na cidade de Havana, uma das duas filhas de William e Mary Eumelia Sánchez Cordero. Seu pai trabalhava na rede ferrroviária do Estado, como o avô tinha feito antes, primeiro como operário e depois como um engenheiro. Quando o sistema de transporte ferroviário de Cuba entrou em colapso após o fim do comunismo na Europa, William Sanchez ficou sem trabalho, assim como muitos de seus colegas e, com isto, mudou para o ramo da reparação de bicicletas.
    Em 1995 iniciou o curso de Filologia Hispânica, na Faculdade de Letras e Artes, da Universidade de Havana. Durante a passagem pela universidade ela percebeu duas coisas:"que detestava o mundo da intelectualidade e da alta cultura, não queria mais ser filóloga." Em 2000 ela se formou na Universidade de Havana, com o título de Filologia, e uma tese controversa: Um estudo da literatura da ditadura na América Latina. . Em 2002, Yoani decidiu deixar Cuba por razões econômicas e emigrou para a Suíça, onde descobriu o computador como uma profissão e meio de subsistência.
    Texto: Comparação
    A vida de Yoani Cordero e o mito da caverna se compara bastante, pois, no mundo que estamos vivendo é tudo muito fechado, tipo uma caverna. Precisamos viver e conhecer cada um o seu mundo. Por que viver em uma caverna que existe uma fresta por onde passa um feixe de luz exterior, se posso conhecer o mundo todo, sem ter que viver prisioneiro. Yoani Sanchez é um exemplo disso, ela escolheu viver do seu jeito, arriscadamente, em um mundo onde, as criticas são levadas em primeito lugar, e fala tudo o que pensa sem medo de errar o que muitos não tem coragem de fala, todo mundo pode fala o que pensa basta ter vontade própria. Assim como Platão influenciado por Sócrates Yoani também busca as verdadeiras essências, por que ficar calado se posso expor meus pensamentos. Portando a comparação de Yoani e o mito da caverna é, tenta mostra que o mundo é totalmente diferente, do que muitos ver. Será que seremos capaz de escala o muro como a Yoani fez, para alcançar nossos objetivos. Basta ser, basta quer, quem quer sempre alcança seus objetivos.

    ResponderExcluir
  21. Conhecida mundialmente como a blogueira cubana que manifesta suas opiniões contra a ditadura dos irmãos Castro em Cuba, Yoani Sanchez recebe apoios pela sua luta em favor da democracia e, ao mesmo tempo, sofre perseguições e protestos dos defensores do comunismo de Havana. Nascida em 4 de setembro de 1975, é filóloga e jornalista
    Se formou em Filologia pela Universidade de Havana em 2000, morou e trabalhou na Europa, retornando ao seu país para cuidar de seu pai adoecido e de toda sua família. É crítica das condições limitantes de vida dos cubanos, para manter o seu blog “Generación Y” ela acesse a internet uma vez por semana a partir de um hotel em Havana, utilizando um cartão de acesso contado por horas de uso.

    Ela critica o baixo nível de acessibilidade da Internet em seu país, onde ter computador, celular e internet em casa é muito caro. O salário médio em Cuba é de 30,00 dólares ao mês.

    O seu blog, o “Generacion Y”, é descrito da seguinte maneira: “É um blog inspirado em pessoas como eu, com nomes que começam ou possuem o “y”. Nascidos em Cuba dos anos 1970 e 1980, marcados pelas escolas rurais, bonequinhos russos, a emigração ilegal e a frustração. Então eu convido especialmente Yanisleidi, Yoandri, Yusimí, Yuniesky e outros que carregam seus “Y” para ler e escrever-me.”

    Antes de abrir o blog, ela tentou lançar uma revista impressa, mas pela ausência de melhores condições decidiu abrir o blog em 2007. Em 2008, foi considerada pela revista Time na lista das cem pessoas mais influentes do mundo, trabalhando como jornalista e blogueira num país onde não há liberdade de expressão.

    É casada com o jornalista Reinaldo Escobar, e mãe de Matt. Iniciou no curso superior de Filologia Hispânica em 1995. É acusada pelo governo cubano e pelos defensores do antigo comunismo de ser agente da CIA; a blogueira se defende e diz viver somente de suas atividades jornalísticas.

    Em fevereiro de 2013, esteve no Brasil, foi recebida sob protestos em Salvador, participou de palestras, lançou o seu livro “Desde Cuba” em edição em português no nosso país, conheceu o Rio de Janeiro e concedeu entrevistas aos canais TV Cultura e Bandeirantes.

    Do Brasil seguiu para a Europa, para visitar França e República Checa. Yoani acredita na iminente queda do regime comunista cubano pelos próprios erros econômicos e sociais existentes e na insatisfação que já toma conta das novas gerações.


    Aluno: Hugo Augusto, 2°informática

    ResponderExcluir
  22. Escola: E.E.E.F.M. João Bley
    Turma: 2º M01/ Matutino
    Aluno: Alana Andrade e Daniela Ribeiro.
    Biografia :
    Yoani Sanchaz nasceu no dia 4 de setembro de 1975, na cidade de Havana em cuba, filha dos senhores William e Mary Eumelia Sánchez Cordero, seu pai era ferroviário assim como o seu avó, mais por uma decadência, ele acabou desempregado . Yoani estudou na escola Centro Habana, incluindo a assistência às escolas de campo onde, como mencionado em seu artigo "O Hobbit Hole”. l
    No ano de 1993 Yoani conheceu seu marido Reinaldo Escobar ( jornalista ), e logo no ano de 1995 tiveram um filho chamado Matt, no mesmo ano começou a faculdade de Filologia Hispânica , na Faculdade de Letras e Artes, da Universidade de Havana. Em 2000 ela se formou na Universidade de Havana, com o título de Filologia. . Em setembro de 2000 ela conseguiu um emprego na Editora Gente Nueva, dedicada à literatura infantil. Em 2002, Yoani decidiu deixar Cuba por razões econômicas e emigrou para a Suíça, onde descobriu o computador como uma profissão e meio de subsistência. Em 2007, trabalhando como webmaster, escritora e editora do portal Desde Cuba e com a ajuda de colaboradores da revista cubana Consenso, Yoani iniciou um blog intitulado Geração Y.
    A vinda de Yoani no Brasil foi para mostrar a realidade de Cuba para o mundo e divulga seu livro “De Cuba com Carinho”, para mostrar realidade de Cuba ,sua chegada no Brasil, foi marcada por protestos. Yoani luta a favor da liberdade de expressão, depois que um fato que ocorreu em Cuba que 75 jornalistas foram detentos por um dos irmãos Castro, Yoani passou a defender essa ideia de que todos temos direitos de nos expressarmos.

    ResponderExcluir
  23. Escola: E.E.E.F.M. João Bley
    Turma: 2º M02/ Matutino
    Aluno: Stelorhayne Alcântara Roberto

    BIOGRAFIA DE YOANA SÁNCHEZ:

    Conhecida mundialmente como a blogueira cubana que manifesta suas opiniões contra a ditadura dos irmãos Castro em Cuba, Yoani Sanchez Cordero Maria recebe apoios pela sua luta em favor da democracia e, ao mesmo tempo, sofre perseguições e protestos dos defensores do comunismo de Havana. Nascida em 4 de setembro de 1975, é filóloga e jornalista. Se formou em Filologia pela Universidade de Havana em 2000, morou e trabalhou na Europa, retornando ao seu país para cuidar de seu pai adoecido e de toda sua família. É crítica das condições limitantes de vida dos cubanos, para manter o seu blog “Generación Y” ela acesse a internet uma vez por semana a partir de um hotel em Havana, utilizando um cartão de acesso contado por horas de uso. Ela critica o baixo nível de acessibilidade da Internet em seu país, onde ter computador, celular e internet em casa é muito caro. O salário médio em Cuba é de 30,00 dólares ao mês. É casada com o jornalista Reinaldo Escobar, e mãe de Matt. Iniciou no curso superior de Filologia Hispânica em 1995. É acusada pelo governo cubano e pelos defensores do antigo comunismo de ser agente da CIA; a blogueira se defende e diz viver somente de suas atividades jornalísticas.


    Minha Opinião

    Eu acho que Yoani Sanches lutou por aquilo que acha certo, lutou até com pessoas do alto governo cubano. Mesmo sendo pressa tortura, xingada e odiada pelo governo continuou seguindo seu conceito, ela poderia muito bem ceder às pressões propostas pelo governo mais ficou ali de pé enfrentando o problema sendo vigiada 24 hrs.
    Eu mais que apoio ela, e sou muito do contra esse pessoal que ficou no aeroporto e no hotel dela vaiando ela, se eles realmente soubessem que é ela não iria fazer esse papel horrivelmente feio.

    ResponderExcluir
  24. E.E.E.F.M João Bley
    Alunas: Jaqueline Ragazzi, Raniele Fioresi 2º M 02

    Yoani Sánchez Cordero Maria nasceu dia 04 de setembro de 1975 no município de Centro Habana, na cidade de Havana, uma das duas filhas de William e Mary Eumelia Sánchez Cordero. Em 1995 iniciou o curso Filologia Hispânica, na Faculdade de Letras e Artes, da Universidade de Havana. Em 2000 ela se formou na Universidade de Havana, com o título de Filologia, e uma tese controversa: Um estudo da literatura da ditadura na América Latina. Em 2002, Yoani decidiu deixar Cuba por razões econômicas e emigrou para a Suíça, onde descobriu o computador como uma profissão e meio de subsistência.
    Entretanto, em 2004 Yoani retornou a Cuba. Na entrada do blog "Eu vim e fiquei", ela relatou que voltou para a ilha por razões familiares, mas havia perdido o seu direito de regressar a Cuba por ter ficado fora por mais de onze meses sem uma licença especial. Para evitar a expulsão de seu próprio país ela destruiu seu passaporte, que lhe permitiu voltar a estabelecer-se em Havana. Licenciada em Filologia em 2000 na Universidade de Havana, alcançou fama internacional e numerosos prêmios por seus artigos e suas críticas da situação social em Cuba sob o governo de Fidel Castro e de seu sucessor, Raúl Castro.

    Em nossa opinião, Yoani veio ao Brasil em busca de melhores condições para Cuba, relatou que lá para sobreviver as pessoas precisam roubar do Estado e vender. Ela é muito corajosa, pois não tinha medo de expressar de tal forma a realidade de Cuba. Ela critica o governo cubano, porque os políticos queriam esconder de todo o mundo, e da mídia qual era a verdadeira realidade de Cuba, e ela, uma blogueira e cursada em Filologia, foi atras de resolver os problemas de seu país sozinha, sem medo do que pudesse acontecer, ela saiu de Cuba em busca de educação, liberdade e condições melhores de vida para todos os cidadãos Cubanos. "Cuba, um país onde as pessoas precisam esconder suas opiniões com medo de represálias, onde muitos jovens querem emigrar por falta de expectativa, onde o estado tenta controlar todos os detalhes da vida." relatou Yoani. Isso mostra que Cuba é muito rigorosa no modo das pessoas se expressarem e de suas formas de vida. Muitos jovens pensam em sair de Cuba, porque como o Estado quer controlar a população, e assim, não tendo suas expectativas para um futuro melhor. Yoani, apesar de estar querendo ajudar Cuba, é criticada por algumas pessoas por seus atos e atitudes.

    ResponderExcluir
  25. Escola E.E.E.F.M “João Bley”
    Turno: Matutino
    Série: 2º Turma: 02
    Aluna: Mariane Botelho Ferrari

    Biografia

    Yoani Sánchez Cordero Maria nasceu no município de Centro Habana, na cidade de Havana, uma das duas filhas de William e Mary Eumelia Sánchez Cordero. Frequentou a escola e fez seus estudos secundários em Centro Habana, incluindo a assistência às escolas de campo.
    Yoani conheceu o marido, o jornalista Reinaldo Escobar, em 1993 e em 1995 tiveram um filho chamado Matt. Desde então eles vivem juntos em um apartamento em Havana.
    Em 1995 iniciou o curso Filologia Hispânica, na Faculdade de Letras e Artes, da Universidade de Havana. Durante a passagem pela universidade ela percebeu duas coisas: "que detestava o mundo da intelectualidade e da alta cultura, não queria mais ser filóloga." Em 2000 ela se formou na Universidade de Havana, com o título de Filologia, e uma tese controversa: Um estudo da literatura da ditadura na América Latina. Em 2002, Yoani decidiu deixar Cuba por razões econômicas e emigrou para a Suíça, onde descobriu o computador como uma profissão e meio de subsistência.
    Entretanto, em 2004 Yoani retornou a Cuba. Na entrada do blog "Eu vim e fiquei", ela relatou que voltou para a ilha por razões familiares, mas havia perdido o seu direito de regressar a Cuba por ter ficado fora por mais de onze meses sem uma licença especial. Para evitar a expulsão de seu próprio país ela destruiu seu passaporte, que lhe permitiu voltar a estabelecer-se em Havana.
    Em 2009 a Editora Contexto publicou uma coletânea de seus textos, chamada De Cuba, com carinho.
    Fonte: http://pt.wikipedia.org/wiki/Yoani_S%C3%A1nchez

    ps.: não consegui postar a biografia e o comentario juntos porque ultrapassou o limite de 4.096 caracteres

    ResponderExcluir
  26. E.E.E.F.M JOÃO BLEY
    Aluna: Mariane Botelho Ferrari
    2º 02 matutino

    Comentario parte I

    Yoane não se conforma com a tirania dos Castro, pois se sente prisioneira em sua própria ilha, acreditou que poderia usar de seu direito de livre expressão para criticar as mazelas de Cuba em seu blog Generation Y, porém esse “direito” não foi “respeitado”. O governo cubano criou um dossiê contra Yoane, pois a intenção é calar quem se rebela contra o comunismo. A respeito desse dossiê Yoane disse: "É um dossiê preparado para fazer uma estratégia que eu conheço muito bem: a estratégia de matar o mensageiro. Não é um dossiê sobre os argumentos que apresento, ou que negue algo que escrevo em meu blog, mas um dossiê que trata de me matar eticamente e moralmente frente aos meus leitores. Não há possibilidade de um debate em uma polêmica quando o outro quer te destruir".
    Em uma turnê, Yoane veio ao Brasil para divulgar seu livro “De Cuba, com carinho”. Hipocrisia até mesmo no nome do livro. Yoane é acusada pelo governo cubano de estar recebendo dos Estados Unidos e que tem uma ligação com a CIA, e realmente é o que parece.
    Yoane não está, de forma alguma, errada. Ela passa por algo que o Brasil conhece bem, o peso de uma ditadura. Ao contrario de alguns brasileiros, eu não acho o comunismo algo bom, acredito que o mundo é capitalista e isso é o melhor que podemos conseguir. Yoane supostamente pensa o mesmo, mas é questão é mais ampla. Algumas perguntas ainda permanecem sem resposta, e são justamente as que mais queremos saber, se Yoane deixou Cuba em 2002 por razões econômicas, com qual dinheiro ela foi pra Suiça e lá teve acesso à um computador? E como retornou para Cuba? Alias, se Cuba é aparentemente tão ruim para ela, por que voltou, pra que tanta questão em voltar? Yoane disse que está sendo ameaçada de morte, acredito eu, que se alguém é ameaçado de morte e o seu pais fica contra é um tanto quanto obvio que a solução é parar com o ato que gerou a discórdia, porem Yoane persiste no blog, estaria ela errada? Não, mas Yoane mantem o blog por um tempo e tudo que conseguiu foi um dossiê contra ela mesma, o que mostra que esse blog não levara a nada, certamente o pais não vai mudar só porque Yoane acha errado e se ela está tão insatisfeita com Cuba porque não se muda para um lugar sem censuras, sem ditadura.
    Certamente Yoane tem todo o direito de se expressar, mas qual seria a finalidade de persistir em algo, como já disse, que não levara em nada? Yoane está nessa turnê sendo patrocinada por quem? Os Estados Unidos teria motivos para pagar alguém que fale para o mundo todo a realidade cruel de Cuba seria um tanto quando bom para os EUA que o mundo todo visse como o comunismo é ruim, e é claro que eles já imaginariam que o governo cubano iria “para cima” do(a) autor(a) do blog, nesse caso Yoane pode ter sido escolhida para ser uma espécie de ponte, um meio de mais uma vez haver uma briga entre Cuba e EUA.
    "Os Estados Unidos esperam o dia em que todos os cubanos tenham a oportunidade de se expressar em público sem medo e seguiremos apoiando políticas que estimulem o livre fluxo de informação", disse a porta-voz do Conselho de Segurança Nacional da Casa Branca, Caitlin Hayden, que deu boas-vindas a Yoani, a qual definiu como "uma respeitada defensora da liberdade de informação". A cubana se reuniu na mansão presidencial norte-americana com Ricardo Zuñiga, assessor do presidente e diretor de Assuntos Latino-americanos, com quem "discutiu seus esforços para promover um crescente respeito pela liberdade de expressão em Cuba".

    ResponderExcluir
  27. E.E.E.F.M JOÃO BLEY
    Aluna: Mariane Botelho Ferrari
    2º 02 matutino

    Cometario parte II

    Se os EUA tiver mesmo comprado a opinião de Yoane, ela já deixa de ser apenas uma cidadã que não concorda com as regras impostas por seu pais, mas sim uma traidora –alias, muitas pessoas no Brasil receberam Yoane com esse pequeno insulto-, Yoane talvez realmente acredita que Cuba está mal, que o comunismo não é bom, que eles precisam ser livres, mas a partir do momento que ela vende essa opinião, é como se não fosse dela. Yoane estaria sendo comprada, ou seja, vendendo sua opinião –ou não- e pondo sua vida e de sua família em risco por dinheiro. Alias, o que pode mostrar que Yoane esta sendo comprada, é que ela mesma disse que em seu pais, ter acesso a internet, computador, celular é muito caro, mas aqui no Brasil ela usava um IPhone, e eu acredito que quem tem um IPhone não precisa reclamar tanto da dificuldade para ter um celular no seu pais.
    Enfim, não concordo nem discordo com Yoane Sanchez, acho que ela pode sim dizer o que quer, pode tentar lutar por seus direitos, mas ao mesmo tempo que ela é uma “guerreira” ela está se vendendo - claro, se a oposição de Cuba for verídica, o que eu acredito que seja- o que já a torna um lobo disfarço em pele de cordeiro. O que eu realmente acho é que Yoane quer chamar atenção, ganhar dinheiro, ficar conhecida no mundo todo, mas quando toda a “poeira abaixar” ela simplesmente vai parar com todo esse ataque sobre Cuba, e só falta ela se contradizer como fez na época da faculdade em que disse que “que detestava o mundo da intelectualidade e da alta cultura, não queria mais ser filóloga” e 5 anos mais tarde se formou em Filologia.
    E a respeito dos brasileiros que receberam Yoane de forma ruim, são todos alienados, que acreditam que o comunismo é bom tudo isso porque veem na TV que o Brasil é um pais corrupto. Todos ignorantes, que adoram Fidel e Chavez, mas parece que se esqueceram da fase da ditadura brasileira.

    ResponderExcluir
  28. Alunas Maiara Silva e Barbara Robertti
    Turno : Matutino
    Ano : 2° M 01

    Biografia:
    Yoani Sánchez Cordero Maria nasceu no município de Centro Habana, na cidade de Havana, uma das duas filhas de William e Mary Eumelia Sánchez Cordero. Seu pai trabalhava na rede ferrroviária do Estado, como o avô tinha feito antes, primeiro como operário e depois como um engenheiro. Quando o sistema de transporte ferroviário de Cuba entrou em colapso após o fim do comunismo na Europa, William Sanchez ficou sem trabalho, assim como muitos de seus colegas e, com isto, mudou para o ramo da reparação de bicicletas.[3]
    Frequentou a escola e fez seus estudos secundários em Centro Habana, incluindo a assistência às escolas de campo onde, como mencionado em seu artigo "O Hobbit Hole", a falta de individualidade e privacidade se tornou insuportável.[4] Foram anos difíceis para a economia cubana, coincidindo com o colapso da União Soviética e da perda dos subsídios a Cuba, que tinha assumido cerca de oitenta por cento do comércio internacional em Cuba, durante quase três décadas.
    Yoani conheceu o marido, o jornalista Reinaldo Escobar, em 1993 e em 1995 tiveram um filho chamado Matt. Desde então eles vivem juntos em um apartamento em Havana.
    Em 1995 iniciou o curso Filologia Hispânica, na Faculdade de Letras e Artes, da Universidade de Havana. Durante a passagem pela universidade ela percebeu duas coisas: "que detestava o mundo da intelectualidade e da alta cultura, não queria mais ser filóloga." Em 2000 ela se formou na Universidade de Havana, com o título de Filologia, e uma tese controversa: Um estudo da literatura da ditadura na América Latina. Em setembro de 2000 ela conseguiu um emprego na Editora Gente Nueva, dedicada à literatura infantil. Depois de um curto período de tempo na editora, pediu demissão e passou a ensinar espanhol a turistas alemães, com um rendimento superior ao anterior. Muitos profissionais graduados cubanos, por causa da crise e falta de oportunidades, adotaram caminhos semelhantes. Em 2002, Yoani decidiu deixar Cuba por razões econômicas e emigrou para a Suíça, onde descobriu o computador como uma profissão e meio de subsistência.
    Entretanto, em 2004 Yoani retornou a Cuba. Na entrada do blog "Eu vim e fiquei", ela relatou que voltou para a ilha por razões familiares, mas havia perdido o seu direito de regressar a Cuba por ter ficado fora por mais de onze meses sem uma licença especial. Para evitar a expulsão de seu próprio país ela destruiu seu passaporte, que lhe permitiu voltar a estabelecer-se em Havana.

    Em nossa opinião Yoane veio em busca de melhoras mostrando a realidade da politica de seu pais Cuba onde os políticos colocam a realidade debaixo de pano quente omitindo fatos e as necessidades dos cidadãos. E acho que antes de criticar as pessoas tinham que analisar os fatos e olhar a realidade, ela tem coragem sem medo de expressar coloca as cartas na mesa jugando e criticando as condições do seu pais ela vai em busca de seus objetivos não é como um e outras que aceita o que oferecem e ver e fica calado e esquece de seus direitos e ela sabe o que é direito e vai atras tentando ter uma educação melhor e de uma liberdade. Bom nós achamos que ir atras do certo não é errado, errado e ver coisas errada e ficar calado fingindo que estar tudo bem.

    ResponderExcluir
  29. E.E.E.f.M João Bley.
    Turma: 2º M 01
    Turno: Matutino
    Aluna: Arielly Dalvi
    Biografia de Yoani Sánchez
    Yoani Sánchez Cordero Maria nasceu no município de Centro Habana, na cidade de Havana, uma das duas filhas de William e Mary Eumelia Sánchez Cordero. Seu pai trabalhava na rede ferrroviária do Estado, como o avô tinha feito antes, primeiro como operário e depois como um engenheiro. Quando o sistema de transporte ferroviário de Cuba entrou em colapso após o fim do comunismo na Europa, William Sanchez ficou sem trabalho, assim como muitos de seus colegas e, com isto, mudou para o ramo da reparação de bicicletas.

    Frequentou a escola e fez seus estudos secundários em Centro Habana, incluindo a assistência às escolas de campo onde, como mencionado em seu artigo "O Hobbit Hole", a falta de individualidade e privacidade se tornou insuportável. Foram anos difíceis para a economia cubana, coincidindo com o colapso da União Soviética e da perda dos subsídios a Cuba, que tinha assumido cerca de oitenta por cento do comércio internacional em Cuba, durante quase três décadas.

    Yoani conheceu o marido, o jornalista Reinaldo Escobar, em 1993 e em 1995 tiveram um filho chamado Matt. Desde então eles vivem juntos em um apartamento em Havana.

    Em 1995 iniciou o curso Filologia Hispânica, na Faculdade de Letras e Artes, da Universidade de Havana. Durante a passagem pela universidade ela percebeu duas coisas: "que detestava o mundo da intelectualidade e da alta cultura, não queria mais ser filóloga." Em 2000 ela se formou na Universidade de Havana, com o título de Filologia, e uma tese controversa: Um estudo da literatura da ditadura na América Latina. Em setembro de 2000 ela conseguiu um emprego na Editora Gente Nueva, dedicada à literatura infantil. Depois de um curto período de tempo na editora, pediu demissão e passou a ensinar espanhol a turistas alemães, com um rendimento superior ao anterior. Muitos profissionais graduados cubanos, por causa da crise e falta de oportunidades, adotaram caminhos semelhantes. Em 2002, Yoani decidiu deixar Cuba por razões econômicas e emigrou para a Suíça, onde descobriu o computador como uma profissão e meio de subsistência.

    Entretanto, em 2004 Yoani retornou a Cuba. Na entrada do blog "Eu vim e fiquei", ela relatou que voltou para a ilha por razões familiares, mas havia perdido o seu direito de regressar a Cuba por ter ficado fora por mais de onze meses sem uma licença especial. Para evitar a expulsão de seu próprio país ela destruiu seu passaporte, que lhe permitiu voltar a estabelecer-se em Havana.

    Em 2009 a Editora Contexto publicou uma coletânea de seus textos, chamada De Cuba, com carinho.

    ResponderExcluir
  30. Escola Estadual de Ensino Fundamental e Medio João Bley
    Alunas: Cintia M. Langa / Gabriela Oliveira
    Serie: 2ºM01

    BIOGRAFIA
    Yoani Sánchez Cordero Maria nasceu no município de Centro Habana, na cidade de Havana, uma das duas filhas de William e Mary Eumelia Sánchez Cordero
    Frequentou a escola e fez seus estudos secundários em Centro Habana
    Yoani conheceu o marido, o jornalista Reinaldo Escobar, em 1993 e em 1995 tiveram um filho chamado Matt. Desde então eles vivem juntos em um apartamento em Havana.
    Em 1995 iniciou o curso Filologia Hispânica, na Faculdade de Letras e Artes, da Universidade de Havana. Durante a passagem pela universidade ela percebeu duas coisas: "que detestava o mundo da intelectualidade e da alta cultura, não queria mais ser filóloga." Em 2000 ela se formou na Universidade de Havana, com o título de Filologia, e uma tese controversa: Um estudo da literatura da ditadura na América Latina. Em setembro de 2000 ela conseguiu um emprego na Editora Gente Nueva, dedicada à literatura infantil. Depois de um curto período de tempo na editora, pediu demissão e passou a ensinar espanhol a turistas alemães, com um rendimento superior ao anterior. Muitos profissionais graduados cubanos, por causa da crise e falta de oportunidades, adotaram caminhos semelhantes. Em 2002, Yoani decidiu deixar Cuba por razões econômicas e emigrou para a Suíça, onde descobriu o computador como uma profissão e meio de subsistência.
    Entretanto, em 2004 Yoani retornou a Cuba. Na entrada do blog "Eu vim e fiquei", ela relatou que voltou para a ilha por razões familiares, mas havia perdido o seu direito de regressar a Cuba por ter ficado fora por mais de onze meses sem uma licença especial. Para evitar a expulsão de seu próprio país ela destruiu seu passaporte, que lhe permitiu voltar a estabelecer-se em Havana.
    Em 2009 a Editora Contexto publicou uma coletânea de seus textos, chamada De Cuba, com carinho.

    Yoani é conhecida mundialmente pelas criticas sobre a ditadura de seu país. Ela ficou conhecida depois de criar um blog chamado “geração y” onde criticava o governo de Fidel e Raúl Castro. Tem todo direito de expor sua opinião, dizer o que pensa sobre o país, tudo aquilo que muitos também pensam mas não têm coragem de dizer e yoani teve essa coragem, enfrentou tudo, ate foi sequestrada e alegou ser agredida por agentes da segurança do estado. “As principais acusações contra ela são de que ela seria uma mercenária paga pelo governo dos Estados Unidos e que seus artigos supostamente denegririam a revolução cubana e que ela estaria fomentando um subversão interna. Segundo notícia do Jornal do Brasil, Yoani Sanchéz supostamente usaria sites de troca de seguidores para aumentar seu número de seguidores no Twitter e parecer mais popular na internet.” Como podemos ver Yoani é odiada por muitos.
    Após quase 5 anos sem poder sair de Cuba, Yoani Sanchéz conseguiu uma autorização para visitar países onde recebeu prêmios ou tem interesses pessoais. No dia 18 de fevereiro chegou ao Brasil, onde ao desembarcar no aeroporto já encontrou manifestações onde acusavam Yoani de trair o regime cubano. Mas apesar dos contratempos yoani se despede do Brasil em clima de paz.

    ResponderExcluir
  31. E.E.E.F.M João Bley
    Turma: 2° M01
    Turno: Matutino
    Aluna: Arielly Dalvi
    Professor esqueci-me de colocar o site da minha pesquisa, aqui está http://pt.wikipedia.org/wiki/Yoani_S%C3%A1nchez, me desculpe atenciosamente obrigada .

    ResponderExcluir
  32. E.E.E.F.M “João Bley”
    Lui Fonseca
    2° Info
    Biografia:
    Yoani Sánchez Cordero Maria nasceu no município de Centro Habana, na cidade de Havana, uma das duas filhas de William e Mary Eumelia Sánchez Cordero. Seu pai trabalhava na rede ferrroviária do Estado. Quando o sistema de transporte ferroviário de Cuba entrou em colapso após o fim do comunismo na Europa, William Sanchez ficou sem trabalho, assim como muitos de seus colegas e, com isto, mudou para o ramo da reparação de bicicletas.
    Frequentou a escola e fez seus estudos secundários em Centro Habana, incluindo a assistência às escolas de campo onde, como mencionado em seu artigo "O Hobbit Hole", a falta de individualidade e privacidade se tornou insuportável. Foram anos difíceis para a economia cubana, coincidindo com o colapso da União Soviética e da perda dos subsídios a Cuba, que tinha assumido cerca de oitenta por cento do comércio internacional em Cuba, durante quase três décadas.
    Yoani conheceu o marido, o jornalista Reinaldo Escobar, em 1993 e em 1995 tiveram um filho chamado Matt. Desde então eles vivem juntos em um apartamento em Havana.
    Em 1995 iniciou o curso Filologia Hispânica, na Faculdade de Letras e Artes, da Universidade de Havana. Durante a passagem pela universidade ela percebeu duas coisas: "que detestava o mundo da intelectualidade e da alta cultura, não queria mais ser filóloga." Em 2000 ela se formou na Universidade de Havana, com o título de Filologia, e uma tese controversa: Um estudo da literatura da ditadura na América Latina. Em setembro de 2000 ela conseguiu um emprego na Editora Gente Nueva, dedicada à literatura infantil. Depois de um curto período de tempo na editora, pediu demissão e passou a ensinar espanhol a turistas alemães, com um rendimento superior ao anterior. Muitos profissionais graduados cubanos, por causa da crise e falta de oportunidades, adotaram caminhos semelhantes. Em 2002, Yoani decidiu deixar Cuba por razões econômicas e emigrou para a Suíça, onde descobriu o computador como uma profissão e meio de subsistência.
    Entretanto, em 2004 Yoani retornou a Cuba. Na entrada do blog "Eu vim e fiquei", ela relatou que voltou para a ilha por razões familiares, mas havia perdido o seu direito de regressar a Cuba por ter ficado fora por mais de onze meses sem uma licença especial. Para evitar a expulsão de seu próprio país ela destruiu seu passaporte, que lhe permitiu voltar a estabelecer-se em Havana.
    Em 2009 a Editora Contexto publicou uma coletânea de seus textos, chamada De Cuba, com carinho.

    Comentário-->>
    A Yoani Sánchez ta sendo perseguida em Cuba, pois são poucas vozes que se atrevem a confrontar a ditadura dos Castros. Sua arma é um blog, o Generacion Y, conhecido no mundo todo. Há 20 anos ela tentava viajar para outros países mas sempre teve o visto negado pois o governo de cuba passou a vê-la como uma ameaça. Ela apenas luta por liberdade e usa seu blog como arma para tentar conseguir isso.

    ResponderExcluir
  33. Escola: E.E.E.F.M. João Bley
    Turma: 2º M01/ Matutino
    Aluno: Gilcinei , Gilcilei

    Conhecida mundialmente como a blogueira cubana que manifesta suas opiniões contra a ditadura dos irmãos Castro em Cuba, Yoani Sanchez recebe apoios pela sua luta em favor da democracia e, ao mesmo tempo, sofre perseguições e protestos dos defensores do comunismo de Havana. Nascida em 4 de setembro de 1975, é filóloga e jornalista.
    Formou-se em Filologia pela Universidade de Havana em 2000, morou e trabalhou na Europa, retornando ao seu país para cuidar de seu pai adoecido e de toda sua família.
    É conhecida por seu blog Generación Y, editado desde abril de 2007, com dificuldades, porque não pode acessá-lo de casa, e, por isso, definiu-se como uma blogueira "cega". A revista Time a incluiu em sua lista de "cem pessoas mais influentes de 2008", dizendo que "debaixo do nariz de um regime que nunca tolerou dissensão, Sánchez exerce um direito não garantido aos jornalistas que trabalham com papel: liberdade de expressão".
    Em fevereiro de 2013, esteve no Brasil, foi recebida sob protestos em Salvador, participou de palestras, lançou o seu livro “Desde Cuba” em edição em português no nosso país, conheceu o Rio de Janeiro e concedeu entrevistas aos canais TV Cultura e Bandeirantes.

    Bibliografia:


    http://pt.wikipedia.org/wiki/Yoani_S%C3%A1nchez

    http://www.infoescola.com/biografias/yoani-sanchez/

    ResponderExcluir
  34. Vinicius dos Santos e Hemily Casagrande
    2° EM 02

    Biografia: Nascida em 4 de setembro de 1975 na cidade de Havana ,filha de William e Mary Eumelia Sánchez Cordero . Frequentou a escola e fez seus estudos secundários em Centro Habana. Yoani conheceu o marido, o jornalista Reinaldo Escobar, com ele teve um filho chamado Matt.
    Em 1995 iniciou o curso Filologia Hispânica, na Faculdade de Letras e Artes, na universidade percebeu que "que detestava o mundo da intelectualidade e da alta cultura, não queria mais ser filóloga.”. Em 2000 ela se formou na Universidade de Havana, com o título de Filologia, no mesmo ano trabalhou na Editora Gente Nueva, dedicada à literatura infantil, pouco tempo depois saiu do emprego e passou a ensinar espanhol a turistas alemães. Por motivos econômicos foi para suíça e descobriu o computador como uma profissão. Em 2004 foi obrigada a voltar para cuba por motivos familiares mais teve que destruir seu passaporte, para poder voltar a estabelecer-se em Havana. Em 2009 teve um livro publicado.
    Yoani pediu um novo passaporte e decidiu vir fazer uma visita de sete dias para o Brasil. Mas não foi tão fácil assim, já que o regime cubano não permitiria a saída da blogueira, sendo assim o senador Eduardo Suplicy enviou uma carta a embaixada cubana pedindo a autorização para a blogueira sair do país. Sendo assim surgiram varias criticas, e o governo chamou o senador de ‘inimigo da revolução’ e foi promovido a agente do CIA quando se aliou á Yoani.
    Porém, Yoani conseguiu o visto para sair do país mas o governo Cubano montou uma espionagem para monitorar a viagem dela até o brasil

    Opinião: Yoani é apenas uma mulher que tenta lutar pelos seus direitos através de um blog, que mostra a realidade das pessoas que moram em cuba e foi exatamente por isso que o governo cubano a odeia tanto. Yoani não foi aceita para sair do de Cuba e vir ao brasil devido aos laços que o brasil tem com cuba (com o PT). Assim foi criado um movimento contra yoani para impedi-la de mostrar a terrível realidade em que vive.
    O governo cubano deveria dar apoio á Yoani mesmo tendo tantos defeitos e tantos problemas. Pois se ela conseguisse mostrar a realidade em que vive, conseguiria salvar Cuba da enorme catástrofe em que vive. Mas o governo só pensa nele e jamais aceitaria alguém o criticando, e eles so querem continuar roubando e dizendo que lá eles vivem bem com o socialismo.

    ResponderExcluir
  35. E.E.E.F.M.Joao Bley
    componetes:carolina,marlene
    serie:2m02
    Yoani Sanchéz
    Yoani Sánchez Havana, 4 de setembro de 1975 é uma filóloga e jornalista cubana. Licenciada em Filologia em 2000 na Universidade de Havana, alcançou fama internacional e numerosos prêmios por seus artigos e suas críticas da situação social em Cuba sob o governo de Fidel Castro e de seu sucessor, Raúl Castro.
    Yoani Sánchez Cordero Maria nasceu no município de Centro Habana, na cidade de Havana, uma das duas filhas de William e Mary Eumelia Sánchez Cordero. Seu pai trabalhava na rede ferrroviária do Estado, como o avô tinha feito antes, primeiro como operário e depois como um engenheiro. Quando o sistema de transporte ferroviário de Cuba entrou em colapso após o fim do comunismo na Europa, William Sanchez ficou sem trabalho, assim como muitos de seus colegas e, com isto, mudou para o ramo da reparação de bicicletas.
    Frequentou a escola e fez seus estudos secundários em Centro Habana, incluindo a assistência às escolas de campo onde, como mencionado em seu artigo "O Hobbit Hole", a falta de individualidade e privacidade se tornou insuportável. Foram anos difíceis para a economia cubana, coincidindo com o colapso da União Soviética e da perda dos subsídios a Cuba, que tinha assumido cerca de oitenta por cento do comércio internacional em Cuba, durante quase três décadas.
    Yoani conheceu o marido, o jornalista Reinaldo Escobar, em 1993 e em 1995 tiveram um filho chamado Matt. Desde então eles vivem juntos em um apartamento em Havana.
    Em 1995 iniciou o curso Filologia Hispânica, na Faculdade de Letras e Artes, da Universidade de Havana. Durante a passagem pela universidade ela percebeu duas coisas: "que detestava o mundo da intelectualidade e da alta cultura, não queria mais ser filóloga." Em 2000 ela se formou na Universidade de Havana, com o título de Filologia, e uma tese controversa: Um estudo da literatura da ditadura na América Latina. Em setembro de 2000 ela conseguiu um emprego na Editora Gente Nueva, dedicada à literatura infantil. Depois de um curto período de tempo na editora, pediu demissão e passou a ensinar espanhol a turistas alemães, com um rendimento superior ao anterior. Muitos profissionais graduados cubanos, por causa da crise e falta de oportunidades, adotaram caminhos semelhantes. Em 2002, Yoani decidiu deixar Cuba por razões econômicas e emigrou para a Suíça, onde descobriu o computador como uma profissão e meio de subsistência.
    Entretanto, em 2004 Yoani retornou a Cuba. Na entrada do blog "Eu vim e fiquei", ela relatou que voltou para a ilha por razões familiares, mas havia perdido o seu direito de regressar a Cuba por ter ficado fora por mais de onze meses sem uma licença especial. Para evitar a expulsão de seu próprio país ela destruiu seu passaporte, que lhe permitiu voltar a estabelecer-se em Havana.
    Em 2009 a Editora Contexto publicou uma coletânea de seus textos, chamada De Cuba, com carinho.

    ResponderExcluir
  36. E.E.E.F.M.Joao Bley
    aluna:daniele da silva
    serie:2m02
    Yoani Sanchéz
    Conhecida mundialmente como a blogueira cubana que manifesta suas opiniões contra a ditadura dos irmãos Castro em Cuba, Yoani Sanchez recebe apoios pela sua luta em favor da democracia e, ao mesmo tempo, sofre perseguições e protestos dos defensores do comunismo de Havana. Nascida em 4 de setembro de 1975, é filóloga e jornalista.Yoani Sánchez Cordero Maria nasceu no município de Centro Habana, na cidade de Havana, uma das duas filhas de William e Mary Eumelia Sánchez Cordero. Seu pai trabalhava na rede ferrroviária do Estado, como o avô tinha feito antes, primeiro como operário e depois como um engenheiro. Quando o sistema de transporte ferroviário de Cuba entrou em colapso após o fim do comunismo na Europa, William Sanchez ficou sem trabalho, assim como muitos de seus colegas e, com isto, mudou para o ramo da reparação de bicicletas.
    Em 2000 ela se formou na Universidade de Havana, com o título de Filologia, e uma tese controversa: Um estudo da literatura da ditadura na América Latina. Em setembro de 2000 ela conseguiu um emprego na Editora Gente Nueva, dedicada à literatura infantil. Depois de um curto período de tempo na editora, pediu demissão e passou a ensinar espanhol a turistas alemães, com um rendimento superior ao anterior. Muitos profissionais graduados cubanos, por causa da crise e falta de oportunidades, adotaram caminhos semelhantes. Em 2002, Yoani decidiu deixar Cuba por razões econômicas e emigrou para a Suíça, onde descobriu o computador como uma profissão e meio de subsistência.
    Entretanto, em 2004 Yoani retornou a Cuba. Na entrada do blog "Eu vim e fiquei", ela relatou que voltou para a ilha por razões familiares, mas havia perdido o seu direito de regressar a Cuba por ter ficado fora por mais de onze meses sem uma licença especial. Para evitar a expulsão de seu próprio país ela destruiu seu passaporte, que lhe permitiu voltar a estabelecer-se em Havana.
    Em 2009 a Editora Contexto publicou uma coletânea de seus textos, chamada De Cuba, com carinho.

    sobre dissie: A blogueira Yoani Sánchez desembarca no Brasil nesta semana para divulgar o livro De Cuba, com Carinho, uma coletânea de seus textos sobre o triste cotidiano do povo cubano sob a ditadura dos irmãos Fidel e Raúl Castro. O trabalho rendeu à dissidente uma perseguição implacável. Ela foi sequestrada, torturada e, durante anos, impedida de deixar o país. É rotulada de mercenária pelos comunistas da ilha e acusada de trair os princípios revolucionários. O que Yoani não sabe é que, apesar da distância que separa o Brasil de Cuba - 5 000 quilômetros -, ela não estará livre dos olhos e muito menos dos tentáculos do regime autoritário. Para os sete dias em que permanecerá no Brasil, o governo cubano escalou um grupo de agentes para vigiá-la e recrutou outro com a missão de desqualificá-la a partir de um patético dossiê. Uma conspirata oficial em território estrangeiro contra quem quer que seja é uma monumental afronta à soberania de qualquer nação. Esse caso, porém, envolve uma inquietante parceria. O plano para espionar e constranger Yoani Sánchez foi elaborado pelo governo cubano, mas será executado com o conhecimento e o apoio do PT, de militantes do partido e de pelo menos um funcionário da Presidência da República.

    ResponderExcluir
  37. Sobre o dossiê,é uma coleção de documentos q se refere ao um certo processo,ela esta os processando lutando por seus direitos,ela tem voz política, que critica a tirania, tendo assim um levantamento de protestos contra o que ela esta dizendo ao que ela pensa,q se mostra a verdade.Defendendo seus direitos com unhas e garras sem medo do que possa acontecer.Há coisas certas no texto, como a defesa da liberdade de expressão,tendo total oportunudade de mostrar a verdade a quem não quer ver,a politica de hoje em dia esconde muitas coisas de baixo de nossos olhos,devemos procurar a verdade. Nome:Elidiane Oliveira Abreu
    Serie:2°ano 2 Matutino

    ResponderExcluir
  38. E.E.E.F.M JOÃO BLEY
    Aluno: Renzo Dias Rodrigues
    2º 02 matutino

    Bibliografia de Yoani Sánchez

    Yoani Sánchez Cordero Maria nasceu no município de Centro Habana, na cidade de Havana, uma das duas filhas de William e Mary Eumelia Sánchez Cordero.
    Depois de um curto período de tempo em uma editora, pediu demissão e passou a ensinar espanhol a turistas alemães, com um rendimento superior ao anterior. Muitos profissionais graduados cubanos, por causa da crise e falta de oportunidades, adotaram caminhos semelhantes. Em 2002, Yoani decidiu deixar Cuba por razões econômicas e emigrou para a Suíça, onde descobriu o computador como uma profissão e meio de subsistência.
    Entretanto, em 2004 Yoani retornou a Cuba. Na entrada do blog "Eu vim e fiquei", ela relatou que voltou para a ilha por razões familiares, mas havia perdido o seu direito de regressar a Cuba por ter ficado fora por mais de onze meses sem uma licença especial. Para evitar a expulsão de seu próprio país ela destruiu seu passaporte, que lhe permitiu voltar a estabelecer-se em Cuba.
    Em 2009 a Editora Contexto publicou uma coletânea de Yoani Sánchez chamada de Cuba com carinho.


    Minha opinião:
    Pelo fato de Yoani Sánchez só escreve verdades e críticas sobre o governo, eles acabam tendo que apelar com mentiras, falhas e acusações pra cima de Yoani Sánchez e ela caba sendo meio que perseguida e fica sem defesas. E pelo motivo do governo ter mais poder que ela, suas chances ficam bem menos para poder se defender.

    ResponderExcluir
  39. E.E.E.F.M"João Bley"
    aluna: Elidiane Oliveira Abreu
    série: 2° 02 matutino

    sobre o dossiê,é uma coleção de documentos q se refere ao um certo processo,ela esta os processando lutando por seus direitos,ela tem voz política, que critica a tirania, tendo assim um levantamento de protestos contra o que ela esta dizendo ao que ela pensa,q se mostra a verdade.Defendendo seus direitos com unhas e garras sem medo do que possa acontecer.Há coisas certas no texto, como a defesa da liberdade de expressão,tendo total oportunidade de mostrar a verdade a quem não quer ver.A politica esconde muitas coisas de baixos dos nossos olhos, e as vezes fingimos não querer saber a verdade.

    ResponderExcluir
  40. E.E.E.F.M JOÃO BLEY
    TURMA: 2° M02
    ALUNOS: ELIELTON PAGIO DESTEFFANI E RAYANE VIANA PASSARELO

    Yoani Sánchez Cordero Maria, filha de Willian e Mary Eumelia Sánchez Cordero, nasceu no município de Centro Habana, na cidade de Havana.
    Em 1995 iniciou o curso Filologia Hispânica, na Faculdade de Letras e Artes, da Universidade de Havana. E em setembro de 2000 ela conseguiu um emprego na Editora Gente Nueva, dedicada à literatura infantil. Mas em 2002, Yoani decidiu deixar Cuba por razões econômicas e emigrou para a Suíça, onde descobriu o computador como uma profissão e meio de subsistência.
    Entretanto, em 2004 Yoani retornou a Cuba. Na entrada do blog "Eu vim e fiquei", ela relatou que voltou para a ilha por razões familiares, mas havia perdido o seu direito de regressar a Cuba por ter ficado fora por mais de onze meses sem uma licença especial. Para evitar a expulsão de seu próprio país ela destruiu seu passaporte, que lhe permitiu voltar a estabelecer-se em Havana.
    Pelo entendimento, Yoani é considerada como uma mulher que manifesta suas opiniões contra a ditadura cubana. Ela é defensora de direitos, e dessa forma por meio de seu blog (Geração Y) demonstra à verdadeira e cruel realidade de Cuba. DEvido a isso ela desencadeou desconforto das autoridades cubanas, principalmente às dos irmãos Castro.
    De certa forma, Yoani ataca Cuba com suas revelações, e assim de maneira sucessiva ataca os laços que Cuba mantém com o Brasil, ou seja, com o 'PT'. Por esta razão, com sua visita ao Brasil, foi realizado um movimento contra a mesma, para que a situação não se agrave ou complique mais do que já esta.
    Outro problema é que a mídia esta criando uma falsa visão sobre o movimento. Por um lado um cenário autoritário, antidemocrático e ditatorial representado por Fidel Castro, e por outro lado a perseverança da liberdade, da democracia e dos direitos humanos mostrados por Yoani. Devido a essa divisão, uma parte de alguns grupos brasileiros apoia Yoani e suas propostas e revelações contra o regime cubano, mas outra parte fica a favor de Fidel.
    Mas o verdadeiro motivo de Yoani ter vindo ao Brasil foi para a divulgação do seu livro "De Cuba Com Carinho". Nele transparece revelações e a realidade de Cuba, ou seja, o regime cubano, situações vergonhosas, falta de liberdade de expressão, além de mostrar o falso socialismo em Cuba. Essa visita provocou repercussão por tudo o mundo, e assim causou o apoiou para que o trabalho dela prossiga.
    Segundo à nosso respeito, acreditamos que deviria ser criadas novas reformas que aceitem a presença de outra força política, e que a liberdade de expressão e a liberdade de associação também sejam aceitas. Bem como também um apoio da ONU para poder criar uma situação de conforto entre as oposições.

    ResponderExcluir
  41. E.E.E.F.M"João Bley"
    Aluna:Julia Mofati e Juliana de Melo
    Série: 2° 02 MATUTINO
    Yoani Sánchez Cordero Maria nasceu no município de Centro Habana, na cidade de Havana, uma das duas filhas de William e Mary Eumelia Sánchez Cordero. Seu pai trabalhava na rede ferrroviária do Estado, como o avô tinha feito antes, primeiro como operário e depois como um engenheiro. Quando o sistema de transporte ferroviário de Cuba entrou em colapso após o fim do comunismo na Europa, William Sanchez ficou sem trabalho, assim como muitos de seus colegas e, com isto, mudou para o ramo da reparação de bicicletas.[3]
    Frequentou a escola e fez seus estudos secundários em Centro Habana, incluindo a assistência às escolas de campo onde, como mencionado em seu artigo "O Hobbit Hole", a falta de individualidade e privacidade se tornou insuportável.[4] Foram anos difíceis para a economia cubana, coincidindo com o colapso da União Soviética e da perda dos subsídios a Cuba, que tinha assumido cerca de oitenta por cento do comércio internacional em Cuba, durante quase três décadas.
    Yoani conheceu o marido, o jornalista Reinaldo Escobar, em 1993 e em 1995 tiveram um filho chamado Matt. Desde então eles vivem juntos em um apartamento em Havana.
    Em 1995 iniciou o curso Filologia Hispânica, na Faculdade de Letras e Artes, da Universidade de Havana. Durante a passagem pela universidade ela percebeu duas coisas: "que detestava o mundo da intelectualidade e da alta cultura, não queria mais ser filóloga." Em 2000 ela se formou na Universidade de Havana, com o título de Filologia, e uma tese controversa: Um estudo da literatura da ditadura na América Latina. Em setembro de 2000 ela conseguiu um emprego na Editora Gente Nueva, dedicada à literatura infantil. Depois de um curto período de tempo na editora, pediu demissão e passou a ensinar espanhol a turistas alemães, com um rendimento superior ao anterior. Muitos profissionais graduados cubanos, por causa da crise e falta de oportunidades, adotaram caminhos semelhantes. Em 2002, Yoani decidiu deixar Cuba por razões econômicas e emigrou para a Suíça, onde descobriu o computador como uma profissão e meio de subsistência.
    Entretanto, em 2004 Yoani retornou a Cuba. Na entrada do blog "Eu vim e fiquei", ela relatou que voltou para a ilha por razões familiares, mas havia perdido o seu direito de regressar a Cuba por ter ficado fora por mais de onze meses sem uma licença especial. Para evitar a expulsão de seu próprio país ela destruiu seu passaporte, que lhe permitiu voltar a estabelecer-se em Havana.
    Em 2009 a Editora Contexto publicou uma coletânea de seus textos, chamada De Cuba, com carinho. Conhecida mundialmente como a blogueira cubana que manifesta suas opiniões contra a ditadura dos irmãos Castro em Cuba, Yoani Sanchez recebe apoios pela sua luta em favor da democracia e, ao mesmo tempo, sofre perseguições e protestos dos defensores do comunismo de Havana.O governo cubano distribuiu um dossiê contra a jovem cubana e entre as “denúncias” há fotos mostrando Yoani Sanchez comprando bananas, tomando cerveja e indo à praia. De fato, comer frutas, beber cerveja e ir à praia não é um direito para qualquer cubano. Tais “privilégios” só podem ser usufruídos pela turma dirigente cubana. Para os irmãos Castro comer bananas deveria ser um direito apenas dos primatas da nomenclatura fidelista.
    OPINIÃO PESSOAL: Para mim, o governo cubano ditatorial não aceita quaisquer acusações e revelação do que se passa em Cuba, sendo assim, quando pessoas como Yoani se revela para falar a verdade, eles fazem de tudo para "acabar com a vida" digamos assim! Por esse motivo, bloquearam todos os seus bens, tai como: computador, os cafés nos hotéis que ela ia, a capturaram, fizeram agressões contra ela, para que ela ficasse quieta e não fosse contra o governo de Cuba, e ainda fizeram um dossiê contra ela mostrando ela comendo banana, indo a praia, coisa que para eles só primatas, ou com muitas condições podem, fizeram isso para mostrar talvez que ela seja iguais a eles e só quer fama, ibope!

    ResponderExcluir